sábado, 6 de novembro de 2010

É isto que sou: um cofre ...


"A história de Giuseppe Garibaldi está impressa na minha pele, como as digitais dos meus dedos. Ultimamente, nas noites de frio, quando ando pela casa escura e já deserta de todos, ouvindo o eco das minhas botinas neste chão de madeira tantas vezes encerado, é nele que penso, é ele que ocupa toda a minha alma como se eu não fosse mais do que um refúgio para as lembranças do que ele já fez, e é no calor da sua recordação que me aqueço. É isso que sou: um cofre, uma urna daqueles sonhos perdidos, do sonho de uma república e do sonho de um amor que se gastou no tempo e nas estradas desta vida, mas que ainda arde em mim, sob essa minha pele agora tão baça, com a mesma pulsação inquieta daqueles anos."

Techo de A casa das sete mulheres de Letícia Wierzchowski

2 comentários:

  1. nao tenho palavras para esse livro!!

    ResponderExcluir
  2. Somos duas, Gabi!
    Que palavras maravilhosas as da Wierzchowski!

    ResponderExcluir