terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Pequeno eucalipto - PARTE III (final)

de Vladimir Souza Carvalho



O sítio, no entanto, fez foi piorar. Se na casa ela passava o dia todo no grande jardim, aqui nem vinha dormir mais em casa. “Ora, amor, a frieza da noite. Olhe que estamos na época de São João. Vai lhe fazer mal. Você terá um resfriado, uma gripe qualquer, a lhe impedir de ficar com suas plantas”. Ela riu. O sereno far-lhe-ia bem. Não atendeu ao convite. Era agora um pequeno eucalipto. O tronco precisava do ar da noite para perfumar a casca, respondeu, abrindo os braços, ereta, em meio ao capim rasteiro, numa área espaçosa, um pouco distante da casa, próxima da cancela.
O marido insistiu. Eucalipto não dorme no interior de uma casa. Fica pregado no chão, os pés se transformando em raízes que se enfiariam pelo chão adentro, à procura do alimento devido. Não deixasse a lagarta de fogo comer suas folhas nem a coruja se abrigar em seus galhos. Foi a resposta. O marido desistiu dessa forma de levá-la para a casa. Foi dormir. Sua paciência tinha limites. Na hora em que o frio aumentasse, ela correria para dentro de casa. Era só esperar para ver. Depois, aquela mania pelo verde tinha um limite. Por sim ou por não, ele estava de cabeça cheia com tudo aquilo. “Então, boa noite, pequeno eucalipto, que eu vou dormir. Até manhã”.
De madrugada, foi acordado, aos poucos, pelo som animado de uma zabumba, o vozerio de pessoas ao longe, conversando alto, foguetes que pipocavam no ar. Ele continuou na cama. Na certa, estavam em busca de um mastro para os festejos juninos, como faziam anualmente na mesma data, com muita festa e garrafas de cachaça, segundo as boas tradições nordestinas. De repente, estremeceu. O pensamento fulminou sua mente. Levantou-se. De pijama mesmo correu para fora da casa. Do terreiro ainda pode ver a multidão se afastando com o pequeno eucalipto nas costas.

5 comentários:

  1. Leiam cada uma no seu tempo as 3 partes desse conto. Achei super intrigante!

    ResponderExcluir
  2. Lu, amei! Onde você descobriu esse conto?? É tao bom ler uma novidade em conto, em geral só leio os mesmos autores.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, Lu, realmente é muito intrigante! O final dá até um aperto no coração... Também quero saber mais desse autor!

    ResponderExcluir
  4. Gente, muito intrigante mesmo! Gostei!

    ResponderExcluir
  5. Nossa, gostei muito! Onde encontraram ele? Nunca pensei que o final seria daquele jeito! muito bom!

    ResponderExcluir