sexta-feira, 21 de maio de 2010

Jangada de Pedra

Então, a Península Ibérica moveu-se um pouco mais, um metro, dois metros, a experimentar as forças. As cordas que serviam de testemunhos, lançadas de bordo a bordo, tal qual os bombeiros fazem nas paredes que apresentam rachas e ameaçam desabar, rebentaram como simples cordéis, algumas mais sólidas arrancaram pela raiz as árvores e os postes a que estavam atadas. Houve depois uma pausa, sentiu-se passar nos ares um grande sopro, como a primeira respiração profunda de quem acorda, e a massa de pedra e terra, coberta de cidades, aldeias, rios, bosques, fábricas, matos bravios, campos cultivados, com a sua gente e os seus animais, começou a mover-se, barca que se afasta do porto e aponta ao mar outra vez desconhecido.

Trecho de Jangada de Pedra, de José Saramago.

5 comentários:

  1. Estou lendo esse livro, é ma-ra-vi-lho-so, recomendo muito!

    ResponderExcluir
  2. Parece ser muito bom... José Saramago é sempre uma ótima escolha =)

    ResponderExcluir
  3. quero esse livro!!Saramago é tudo de bom!

    ResponderExcluir
  4. Isso é que é prazer em estudar! aiuhaiauhai ^^ Adorei tbm!!!

    ResponderExcluir
  5. Hummmm! Depois quero ler também!

    ResponderExcluir