sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

coisas findas

Memória


Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.


Carlos Drummond de Andrade

5 comentários:

  1. Drummond é sempre simples, preciso e doce, muito doce.

    ResponderExcluir
  2. Lindo esse poema do Drummond. Lindo!

    ResponderExcluir
  3. Lindo!!! Fazia tempo que não lia esse poema...

    ResponderExcluir
  4. Que lindo, Mel!!! Drummond é maravilhoso, sempre com essa leveza das coisas simples...

    ResponderExcluir