sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O Rei do Mar


Muitas velas. Muitos remos.
Âncora é outro falar...
Tempo que navegaremos
não se pode calcular.
Vimos as Plêiades. Vemos
agora a Estrela Polar.
Muitas velas. Muitos remos.
Curta vida. Longo mar.

Por água brava ou serena
deixamos nosso cantar,
vendo a voz como é pequena
sobre o comprimento do ar.
Se alguém ouvir, temos pena:
só cantamos para o mar...

Nem tormenta nem tormento
nos poderia parar.
(Muitas velas. Muitos remos.
Âncora é outro falar...)
Andamos entre água e vento
procurando o Rei do Mar.


Cecília Meireles

4 comentários:

  1. O mar sempre renovando e inspirando a gente!

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo esse poema!

    Recadinho: Selinho meu pra o blog de vocês lá em:
    thoughts-little-princess.blogspot.com (entre na página selos)

    ResponderExcluir