segunda-feira, 30 de maio de 2011

Melodia dos anjo celestiá


Eu nunca falei à toa.
Sou um cabôco rocêro,
Que sempre das coisa boa
Eu tive um certo tempero.
Não falo mal de ninguém,
Mas vejo que o mundo tem
Gente que não sabe amá,
Não sabe fazê carinho,
Não qué bem a passarinho,
Não gosta dos animá.

Já eu sou bem deferente.
A coisa mió que eu acho
É num dia munto quente
Eu i me sentá debaxo
De um copado juazêro,
Prá escutá prazentêro
Os passarinho cantá,
Pois aquela poesia
Tem a mesma melodia
Dos anjo celestiá.


Trecho de O Sabiá e o Gavião, de Patativa do Assaré

3 comentários:

  1. Que delícia esse texto!Tão doce!!

    ResponderExcluir
  2. Que delícia mesmo, muito bonito! A foto também é maravilhosa!

    ResponderExcluir
  3. Muito gostoso esse texto, numa simplicidade!!

    ResponderExcluir