quinta-feira, 12 de abril de 2012

Alguma coisa maior




"Quem andando pelo Jardim Botânico, ou pela Lagoa Rodrigo de Freitas ou ainda assistindo a um pôr do sol no Arpoador não se sentiu parte de alguma coisa maior, uma nova dimensão, parte de uma teia invisível e permanente que liga todas as coisas numa relação de interdependência de vida? Esta sensação é muito forte e abre em nossa consciência um espaço para o invisível, o inominável, o absoluto ou ainda ao que chamamos de Deus. Esta força estranha e atraente que ora nos abraça ora nos repreende de acordo com a lei de nossas ações é o grande mistério do mundo. 
Que relação podemos ter de intimidade e respeito, reverência ou medo diante do infinito e da grandeza, nós simples humanos, mortais e pecadores." 


Trecho de Perdoando Deus, de Clarice Lispector. 

4 comentários:

  1. Gente, foi assim que me senti quando entrei naquela imensidão do Jardim Botânico, principalmente. Sempre que lia os contos da Clarice, em especial, "Amor", eu imaginava como seria esse jardim imenso, tão grande que podíamos nos perder... é lindo, lindo mesmo... Senti que aquilo era um presente de Deus...

    ResponderExcluir
  2. Lá é maravilhoso, incrivel!!!Que lindeza esse trecho da Clarice!

    ResponderExcluir
  3. Que trecho lindo! Eu ainda não tive o prazer de conhecer o Rio e suas maravilhas, mas pretendo em breve!

    ResponderExcluir
  4. gente, é impressionante como essa memória literária é fascinante. Quando eu estava no Rio, Macabéa não saía dos meus pensamentos.

    ResponderExcluir